terça-feira, 10 de novembro de 2015

Guia do colecionador - Buscas e Compras

Foto da internet

Caros amigos leitores, antes de qualquer coisa, acho necessário deixar uma coisa bem clara: não estou aqui estabelecendo uma verdade ou afirmando que quem pensa diferente não é um colecionador. Mesmo porque posso perfeitamente mudar de opinião no futuro baseado em mais experiências e na troca de ideias com os amigos. Boa leitura!

O guia foi dividido em várias postagens temáticas. Elas poderão ser acessadas através do menu "Opinião" localizado abaixo do título do blog conforme forem sendo publicadas. Os temas escolhidos seguem abaixo e sua ordem de publicação não será necessariamente como exposto. Fique a vontade para opinar, criticar, corrigir ou acrescentar e boa leitura!

Ideal
Mídias e formatos
Cuidados e conservação
Equipamentos e ambiente
Buscas e compras
Exposição e compartilhamento
Empréstimos, doações e trocas
Apreciação
Conhecimentos

Buscas e compras

Foto da internet

Um dos grandes baratos de ser colecionador é garimpar itens preciosos para a coleção. Há vários modos e locais para fazer isso, vamos dar uma olhada em alguns deles.

Se dinheiro não é problema para você, o negócio é virar um importador. As razões principais para isso são a escassez (para não dizer a inexistência) de itens top colecionáveis no Brasil e a qualidade geralmente inferior dos produtos feitos por aqui. Claro que você pode adquirir os itens in loco, indo diretamente nas lojas estrangeiras sempre que sair do país, mas o mais comum é adquirir os itens pela Internet. Há vários sites de importadores, alguns confiáveis e outros nem tanto. Como não sou especialista em importações (porque dinheiro para mim é problema, rsrs), apenas me arrisco a indicar as lojas virtuais da Amazon, pois sua boa reputação a precede. Entretanto é preciso dizer que comprar no exterior não é algo tão simples, há uma serie de ações e cuidados que devem ser tomados. Para saber quais, indico um artigo do Blog do Jotacê chamado Guia de Compras, por meio dele você aprenderá todos os macetes para importar numa boa.

Outro modo de adquirir itens, e o mais comum, é através do "garimpo" em locais físicos e virtuais. Há lojas especializadas em vinis novos e usados, nacionais e importados espalhadas no Facebook, assim como para encontrar CDs, DVDs, BDs e etc. Outros locais para dar uma boa vasculhada são o Mercado Livre e a OLX, apenas adianto que nesses sites é muito difícil encontrar as famosas "barbadas" - tão valorizadas pelos colecionadores - , geralmente nesses sites os preços são bastante abusivos e "sem-noção". Muitos sebos também possuem comércio eletrônico, mas é prudente e recomendável investigar a reputação deles antes de sair comprando via web.

Foto da internet

Ainda no ambiente virtual, para adquirir itens novos, vale sempre dar uma conferida nas grandes redes de varejo como o Submarino, Extra, Livraria Saraiva, Livraria Cultura entre outras. Muitas vezes essas lojas fazem o que chamamos de "surto", que é colocar itens bacanas em superofertas de preço, mas por curtos períodos de tempo, por exemplo: uma vez o Submarino colocou alguns filmes em BD por apenas R$ 4,00, só que esse 'surto' durou apenas uma tarde. Para estar sempre por dentro, além das consultas regulares a esses sites, vale a pena fazer parte de grupos no Facebook que divulgam esses surtos, um exemplo é o Blog do Jotacê já citado (o enfoque desse grupo são os filmes e séries).

Por fim, o mais legal (pelo menos para mim): a busca nos locais físicos. Para itens novos, as grandes redes de livrarias e supermercados são os locais indicados, e para os itens usados e antigos há uma grande variedade de opções. O mais comum é vasculhar os sebos, neles você poderá encontrar todo tipo de itens colecionáveis. Porém, como o número de interessados está cada vez aumentando mais (principalmente os interessados em vinil), os preços nesses locais estão cada vez mais inflacionados. Muitos donos de sebos estão aproveitando a maré e o valor médio das coisas está cada vez mais alto, principalmente nas grandes cidades. Por conta disso está compensando mais visitar os sebos das cidades do interior, normalmente o acervo é menor e menos rico, mas ainda é possível encontrar ótimos preços.


Foto da internet

Vale a pena verificar também os sucateiros, ferros-velho e lojas de móveis usados. Muitas vezes acontece desses estabelecimentos receberem itens colecionáveis que seus antigos donos desprezam. É muito comum as pessoas procurarem esses locais para se livrar daquela coleção de discos que "não cabe mais em lugar nenhum da casa" ou que "só está juntando pó". Geralmente, quando encontramos itens nesses locais, os preços são bastante em conta e é possível achar de tudo, itens raros e caros (se encontrados em outros locais) não são incomuns e a satisfação de encontrá-los é muito boa!

Por fim, fique sempre atento na sua rede de contatos. Deixe todos os seus amigos, conhecidos e familiares cientes de que você aprecia esses itens, pois se algum deles um dia resolver se livrar dessas coisas, lembrará logo de você e poderá te dar um tesouro inestimável por preço irrisório ou até de graça!

Até mais!

2 comentários: